São 32 edições da festa mais alemã do Brasil! Prosit! Naturalmente, se você teve o privilégio de acompanhar todas as edições da Oktober, é difícil lembrar o que aconteceu e o que marcou cada ano – ainda mais depois de alguns goles. Mas sem problemas! Facilitamos para que você economize alguns neurônios, e reunimos as informações por ano. Confira abaixo uma pequena síntese de cada um deles.

1984

Há muito tempo já existiam as condições de se criar em Blumenau uma festa nos moldes da Oktoberfest de Munique, mas a ideia só começou a tomar forma em 1983. Infelizmente, a enchente ocorrida naquele ano adiou a festa para o ano seguinte, e no ano de 1984 uma nova enchente castigou a cidade. Ainda assim, a prefeitura decidiu seguir com os planos e realizar a primeira Oktoberfest de Blumenau. No dia 5 de outubro de 1984 foi feita a abertura oficial e em poucos dias de festa mais de 100 mil pessoas passaram pelo Pavilhão da Proeb, e mais de 100 mil litros de chopp foram consumidos pelo público. Nesse ano, a festa durou de 05 até 14 de outubro e marcou uma nova fase na vida dos moradores e turistas que visitam Blumenau.

1985

Blumenau nunca esqueceria da primeira Oktoberfest, mas quando chegou 1985 ninguém tinha a menor dúvida de que a próxima seria ainda mais incrível, por isso o planejamento e divulgação da segunda edição começaram logo cedo. Como planejado, a segunda edição foi muito maior que a de 1984. Foram 17 dias de diversão, entre 4 e 20 de outubro, durante os quais a festa recebeu 362 mil pessoas que consumiram 154 mil litros de chopp nos pavilhões A e B da Proeb.

1986

A terceira edição da Oktoberfest de Blumenau superou todas as expectativas. Em 17 dias de festa, cerca de 802 mil pessoas consumiram mais de 485 mil litros de chopp. A segurança da cidade e o trânsito precisaram de muita atenção extra, pois Blumenau nunca havia recebido um público tão amplo antes. O restaurante oficial da festa precisou se preparar para vender aproximadamente 85 mil refeições. Nesse ano, grandes personalidades foram convidadas e também participaram da festa, ajudando assim a divulgá-la ainda mais. Entre elas estavam Grande Otelo e Edwin Luigi, atores muito conhecidos na época, e Celso Freitas, apresentador da Rede Globo de televisão.

1987

Na Oktoberfest de 1987, um grande placar mostrava diariamente o número de pessoas que entravam na Proeb. Após os 17 dias de festa, o placar marcava mais de 874 mil pessoas, que, juntas, consumiram mais de 560 mil litros de chopp.

Nesse ano, seis tucanos da Esquadrilha da Fumaça também fizeram uma incrível apresentação nos céus de Blumenau, deixando o público ainda mais animado e fazendo a adrenalina correr no sangue de todos. O visitante mais ilustre da quarta edição foi o então ministro da Fazenda, Dilson Funaro, que passeou por toda a festa, nos principais camarotes e também entre o público.

A banda Nusslberg Buam, de Munique, foi o grande destaque musical, graças às ótimas apresentações e a canção “Gruss na Blumenau”, a primeira criada por uma banda alemã especialmente para a Oktoberfest de Blumenau.

1988

Em 1988 o Brasil passava por uma forte crise econômica, pois nos últimos anos nenhum plano para mudar esse cenário havia funcionado. Por esse motivo, o governo havia congelado já em 1987 os preços de diversos produtos, além de aluguéis e salários. As cervejarias estavam liberadas para ajustar o preço do chopp, mas mesmo assim mantiveram os mesmos Cz$ 250,00 durantes todos os 17 dias de festa.

Durante a quinta edição da Oktoberfest de Blumenau começou uma forte polêmica: Nos pavilhões da festa deveriam ser tocadas apenas músicas germânicas ou também outros estilos musicais? A polêmica nunca foi totalmente resolvida e existe até os dias de hoje.

Foi em 1988 que a Oktoberfest superou pela primeira vez a marca de 1 milhão de pessoas: 1.009.057 pessoas passaram pelos pavilhões da Vila Germânica, e esse enorme público consumiu nada menos que 721.652 litros de chopp.

1989

Nesse ano a Oktoberfest nem havia começado ainda e já haviam reclamações do público com relação aos altos preços de ingresso e chopp, mas mesmo assim, mais de 954 mil pessoas passaram pela Proeb e consumiram mais de 765 mil litros de chopp. Só no primeiro sábado da festa 148.089 pessoas se divertiram nos pavilhões.

Cinco bandas alemãs vieram animar o público nessa sexta edição, dentre elas as mais famosas eram a Helmuth Högl Band, Nüsslberg Buam e Kapelle Götz Buam. Nesse ano ocorreram diversas críticas do líder da Banda Cavalinho e de outras bandas locais que se sentiam descriminadas com relação às bandas europeias, pois apenas essas últimas podiam tocar qualquer música, enquanto as bandas locais tinham músicas vetadas.

Infelizmente o ano de 1989 ficou marcado por uma tragédia. Um funcionário do parque de diversões da Oktoberfest morreu ao ser atropelado por um carrinho da montanha russa. 

1990

Em 1990 a Oktoberfest de Blumenau bateu o recorde de consumo de chopp em toda a história da festa, foram vendidos mais de 774 mil litros de chopp para um público superior a 959 mil pessoas. A grande novidade do ano foi a entrada da Cervejaria Brahma, que na época ocupou apenas o Pavilhão D, conhecido como Galegão. Para marcar presença, a Brahma trouxe como convidadas para a festa as atrizes Luma de Oliveira, Regina Duarte e Cristiana de Oliveira.

Infelizmente uma tragédia também marcou o final da Oktoberfest em 1990. Uma enxurrada no bairro Garcia matou 20 pessoas e o lucro da festa foi destinado ao amparo dos desabrigados e à reconstrução de casas. As bandas alemãs Helmuth Högl, Nüsslberg Buam e Fidelle Odenwalder fizeram um show especial na tarde do último domingo para ajudar as vítimas do desastre.

1991

Para a oitava edição, a organização da Oktoberfest previa um público superior em relação à ultima edição. Pensando nisso, o pavilhão B foi ampliado em 5 mil metros quadrados. Infelizmente em 1991 choveu muito e por esse motivo o públicofoi muito menor que o esperado. Foram pouco mais que 844 mil pessoas, 115 mil a menos que no ano anterior. A queda de público afetou drasticamente a venda do chopp, que caiu de 774 mil litros em 1990 para 561 mil litros em 1991.

A maior surpresa para quem visitou a festa nesse ano foi o enorme portal erguido na entrada da Proeb, entre o Pavilhão C e o Galegão. O portal em estilo alemão permanece até hoje, sendo considerado um atrativo turístico da cidade.

Os atores Angelo Antônio e Letícia Sabatella, que estavam na novela O Dono do Mundo, e Victor Fasano e Bia Seidl foram os convidados especiais para a festa.

1992

O ano de 1992 foi marcado pela enorme divulgação da Oktoberfest de Blumenau em outras cidades e até mesmo fora do país nos meses que antecederam a festa. Nesse ano, apenas a empresa responsável pela venda de salsichas investiu 1,05 milhão de dólares na festa e mais 900 mil dólares para a divulgação da marca com o objetivo de relacioná-la com a Oktoberfest.

A Secretaria do Turismo também divulgou a festa em 34 cidades do Brasil, Argentina, Uruguai e Chile, através do projeto “Blumenau e a Oktoberfest na Sua Cidade”.

Com tanta divulgação se esperava que o público chegasse a 1,2 milhões de pessoas, mas alcançou apenas a marca de 1.010.060 visitantes, que mesmo não sendo o esperado, bateu o recorde e ainda está registrado como o maior público de toda a história da Oktoberfest.

Apesar de o público ter batido recorde, o consumo de chopp diminuiu ainda mais com relação ao ano anterior. Foram vendidos apenas 553 mil litros da bebida. Um dos motivos para essa diminuição foi o início da mudança do tipo de público que frequentava a festa. Nos anos anteriores, a maior parte dos visitantes era adulta na faixa dos 30 anos, mas em 1992 ocorreu um grande crescimento do público adolescente.

1993

Em 1993 a Oktoberfest de Blumenau completou 10 anos, mas já não era considerada uma novidade e concorria com diversas outras festas em cidades da região e também contra uma Oktoberfest paralela, organizada no outlet center Celeiro do Vale, chamada de Oktoberfest dos Bons Tempos, onde o chopp era vendido por um valor mais barato para concorrer com a Oktoberfest oficial.

Nesse ano, as principais atrações da Oktoberfest oficial continuaram sendo as bandas alemãs, com destaque para a Kappele Götz Buam e a Die Odenwälder que continuavam a atrair um grande público, além da Banda Cavalinho Branco, que já fazia grande sucesso.

Como resultado da forte concorrência houve uma sensível queda de público e no volume de chopp consumido, o resultado oficial mostrou um público de 853 mil pessoas, mas com um consumo de apenas 406 mil litros de chopp.

Como resultado da queda nos números os organizadores começavam a pensar no futuro da festa e em uma reestruturação para os próximos anos.

1994

A Oktoberfest de 1994 começou com uma reação negativa do público com relação à decoração das ruas de Blumenau, pois onde antes se viam bandeiras relacionadas à festa, agora só existiam logomarcas das empresas patrocinadoras.

Outro motivo para reclamações foram novamente os preços, principalmente dos sanduíches e dos cachorros-quentes, que eram vendidos a R$ 3,00 cada. Nesse ano, o país havia recém adotado o plano real e por isso pagar R$ 3,00 por um cachorro-quente foi visto como um abuso.

O público da festa continuou mudando bastante, se comparado com os anos anteriores. Já não havia nas ruas aqueles enormes aglomerados de pessoas que costumavam agitar o centro da cidade. Blumenau passou a receber mais turistas com um poder aquisitivo maior e isso ajudou a aquecer as vendas do comércio local.

Um dos maiores sucessos do ano foi o desfile oficial da Oktoberfest, que tinha como atração os carros e grupos alegóricos, sendo o principal deles a Centopeia do Chopp. Nesse ano, 827 mil pessoas passaram pelos pavilhões da Proeb e consumiram 501 mil litros de chopp. 

1995

Após a Oktoberfest de 1994 começaram a surgir dúvidas sobre o futuro da festa, pois o público havia mudado bastante e até mesmo a disposição do povo de Blumenau para a festa tinha mudado muito. Para tentar mudar esse cenário, os organizadores anunciaram uma festa de qualidade, redecoraram os pavilhões e chamaram o grupo folclórico Finkenwarder Speeldel, de Hamburgo, para fazer a abertura oficial.

Apesar de o público ser diferente dos anos anteriores, a animação da festa continuava a mesma, com bandas alemãs como a Die Odenwälder e bandas locais, com destaque para a banda Cavalinho Branco.

Nessa edição, passaram pela festa mais de 929 mil pessoas e foram consumidos pouco mais de 502 mil litros de chopp.

1996

Novas mudanças são feitas na Oktoberfest, começando pelos antigos quiosques de venda de alimentos que foram substituídos por estruturas de alvenaria com o objetivo de tornar a Proeb mais agradável e semelhante a uma verdadeira vila germânica.

Outra mudança foi a divulgação da festa, que dessa vez teve como alvo um público com maior poder aquisitivo, além de uruguaios e argentinos. A estratégia deu certo: 515 mil pessoas passaram pelos pavilhões da festa e consumiram mais de 352 mil litros de chopp. Apesar do público mais qualificado, esses números foram muito menores do que os dos anos anteriores, quando a festa chegava a um milhão de visitantes.

Infelizmente, poucos dias antes do início da festa, o senhor Norberto Mette, então Secretário de Turismo e responsável por comandar a festa, sofreu um acidente e teve de se contentar em participar da festa em uma cadeira de rodas.

1997

Em 1997 a organização da Oktoberfest buscava uma forma de atrair o povo de Blumenau para a festa, pois com o passar dos anos, os blumenauenses foram participando cada vez menos.

A Proeb possuía poucos recursos para investir em publicidade, ainda assim foram feitas várias divulgações em Blumenau e outras cidades do Brasil, principalmente com a rainha, as princesas, bandas e o grupo folclórico.

Apesar das fortes chuvas que ocorreram durante os dias de festa e das condições precárias da BR-101, o público foi considerado bom, com mais de 500 mil pessoas que compareceram à festa. Com pouco mais de 290 mil litros vendidos, o consumo de chopp foi muito menor do que o dos anos anteriores. Não se via um consumo tão baixo desde 1985 e isso não mudaria nos próximos anos.

1998

A 16ª edição da Oktoberfest começou animada pela Banda Cavalinho Branco e a novata Vox 3. A primeira já trazia músicas lembrando o pop e a segunda lotou os pavilhões com canções ao estilo “chucrute music”.

Nesse mesmo ano aconteceu o Oktoberfestival, um evento ocorrido em um palco ao lado da Proeb, onde tocaram grupos, cantores e bandas conhecidas. Infelizmente, a chuva acabou atrapalhando o evento em partes.

Foi em 1998 que ficou decidido o fim da enorme mistura de gêneros musicais na Oktoberfest. As bandas e grupos ainda poderiam tocar o que quisessem, mas 80% do repertório obrigatoriamente deveria ser de músicas alemãs.

Com o objetivo de fortalecer ainda mais as raízes germânicas da festa, o Pavilhão Cultural foi novamente instalado e nele se apresentaram shows folclóricos, desfiles de trajes típicos e várias atividades artísticas e culturais ligadas à cultura alemã. Uma das maiores atrações do ano foi a Centopéia do Chopp, que havia sido completamente remodelada, tendo agora assentos em forma de barril.

No fim, a festa foi considerada um sucesso, com aproximadamente 500 mil pessoas tendo passado pelos pavilhões e consumidos mais de 312 mil litros de chopp.

1999

No ano de 1999 os pavilhões da Proeb foram reformados. O Pavilhão A ganhou placas de acrílico, um novo piso e pintura. O Pavilhão B também recebeu nova pintura e teve a sua instalação elétrica substituída. Até mesmo a rua Humberto Campos, que dá acesso à Proeb, foi reurbanizada.

Nesse ano, pela primeira vez os clubes de caça e tiro também ganharam um espaço na festa. No seu estande de tiro ao alvo o público teve a oportunidade de testar sua pontaria com armas de ar comprimido.

O desfile da 17ª edição da festa também trouxe uma novidade: A Locopéia, uma réplica da primeira locomotiva que fez o transporte entre Blumenau e as cidades do litoral no início do século.

Novamente a Oktoberfest de Blumenau teve um bom crescimento de público, sendo mais de 607 mil pessoas, mas o consumo de chopp caiu um pouco comparado com o ano anterior, chegando ao final da festa com 284 mil litros consumidos. 

2000

Blumenau estava fazendo 150 anos e a Oktoberfest foi uma das melhores maneiras de celebrar esse um século e meio de tradições alemãs.

Com o objetivo de deixar a população ainda mais envolvida, os blumenauenses puderam pela primeira vez escolher o cartaz oficial da festa. Os cartazes ficaram expostos no Pavilhão B da Proeb e também no Shopping Neumarkt. O Jornal de Santa Catarina, de maior circulação da cidade, publicou a foto dos cartazes e as cédulas para que as pessoas pudessem escolher uma opção e então depositar sua escolha nas urnas. No total quase três mil pessoas participaram.

Infelizmente em junho desse ano morreu aos 64 anos o maestro alemão Helmut Högl, que participou de sete edições da Oktoberfest e foi o criador da música Hallo Blumenau, que praticamente se tornou o hino da festa. Para homenageá-lo, o então prefeito de Blumenau renomeou o Pavilhão A da Proeb, que passou a se chamar Pavilhão Helmut Högl.

Nos desfiles desse ano a Bondepéia foi apresentada ao público e junto com a Centopéia do Chopp e a Locopéia passou a formar a Planeta Péia. Outra novidade foi a mudança do palco no Pavilhão C, que agora era redondo e teve sua posição dentro do pavilhão alterada para melhorar a acústica.

Nesse ano, mais de 616 mil pessoas passaram pelos pavilhões e consumiram mais de 290 mil litros de chopp.

2001

A 18ª edição da Oktoberfest de Blumenau começou com um rigoroso controle do trânsito e da venda de bebidas alcoólicas na rua Humberto Campos, que dá acesso a Proeb. Neste ano, também não se permitiu som automotivo nos estacionamentos da festa, na avenida Beira Rio e na rua XV de Novembro.

O Caminhão da Sorte da Caixa Econômica Federal também esteve em Blumenau e fez sorteios dentro da Proeb. O Vovô Chopão foi usado para ilustrar os bilhetes da extração 3586-6, do dia 13 de outubro, da Loteria Federal.

Nos desfiles foi a vez da Fuscopteropéia ser apresentada ao público. O novo membro do Planeta Péia era basicamente um triciclo com hélices de helicóptero.

Uma das grandes inovações do ano foram os desfiles realizados dentro da Proeb nas quintas, sextas e sábados com presença da rainha e princesas da Oktoberfest, grupo folclórico, Vovô e Vovó Chopão, a equipe do Chopp em Metro e os clubes de caça e tiro.

2001 também foi considerado um bom ano pela organização da festa, já que mais de 265 mil litros de chopp foram consumidos pelo público que passou das 626 mil pessoas. 

2002

Nesse ano, a Cervejaria Kaiser patrocinou pela primeira vez uma edição da Oktoberfest, decorando os pavilhões da Proeb de modo semelhante a uma cidade alemã. Outra novidade trazida pela Kaiser foi acontagem regressiva para a meia-noite em todos os pavilhões da festa as sextas e sábados.

Uma das inovações desse ano foi o Chopp em Metro, onde o tempo dos tomadores passou a ser marcado pelo ponto computadorizado.

Por causa das eleições presidenciais e estaduais, a Oktoberfest de 2002 teve um dia a menos, pela primeira vez encerrando em um sábado já que o segundo turno das eleições foi marcado para um domingo.

Até o último dia passaram pela festa mais de 502 mil pessoas e foram consumidos 242 mil litros de chopp.

2003

Em 2003 a Oktoberfest de Blumenau completou 20 anos e para comemorar foram apresentadas várias novidades.

Como preparação para a grande festa que estava por vir, o Galegão foi substituído por um novo pavilhão batizado de Oswaldo Fiedler, mas que ficou conhecido por todos como Pavilhão D.

A vigésima edição ganhou ainda mais divulgação com a presença do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva na festa, o primeiro presidente da República a participar da Oktoberfest. Ele também recebeu a rainha e as princesas no Palácio do Planalto, fazendo a festa ser assunto em vários jornais, revistas e programas de TV de todo Brasil.

Um das grandes atrações do ano foi a Högl Fun Band, banda do filho de Helmut Högl, maestro que compôs o hino da Oktoberfest e havia falecido três anos antes. Outra banda que fez grande sucesso foi a California Repercussions, da cidade de Redwood, nos Estados Unids. Foi a primeira vez que uma banda estrangeira sem características alemãs pode se apresentar, mesmo não havendo em seu repertório nenhuma música típica, apenas rock, jazz e blues.

Durante a 20ª edição da festa mais de 605 mil pessoas passaram pela Proeb e mais de 263 mil litros de chopp foram consumidos pelo público. 

2004

No ano de 2004, mais de 613 mil pessoas passaram pelos pavilhões da festa, consumindo um total superior a 269 mil litros de chopp, isso garantiu a Proeb um lucro de R$ 530 mil, sendo que a arrecadação total ultrapassou os 2 milhões e meio de reais.

Outro grande motivo de comemoração nesse ano foi o baixo número de ocorrências policiais, resultado direto da competência dos grupos de administração da festa, que nesse ano teve um cuidado especial focado na boa organização, segurança e infraestrutura.

Os lucros da festa foram aplicados em diversos projetos de manutenção do parque, despesas administrativas, pagamento de pessoal e no projeto de segurança do Corpo de Bombeiros.

2005

A 22ª edição da Oktoberfest de Blumenau teve grandes mudanças envolvendo a decoração dos pavilhões e os desfiles. Os desfiles desse ano contaram com novos carros alegóricos, sendo no total 15 carros, o dobro do ano anterior, contando a história da colonização alemã no Vale do Itajaí.

No Parque da Oktoberfest também ocorreram mini-desfiles em todos os dias da festa durante a noite, começando às 21 horas. Os mini-desfiles foram uma versão menor do que já era apresentado nos desfiles da rua XV de Novembro, mostrando as tradições blumenauenses através dos clubes de caça e tiro e grupos de dança germânica.

Apesar de tantas inovações o público da festa caiu drasticamente, com apenas 365 mil pessoas tendo passado pelos pavilhões. Mesmo com o público menor o consumo de chopp se manteve estável, com mais de 266 mil litros vendidos.

2006

Para a 23ª edição da Oktoberfest a diretoria do Parque Vila Germânica aumentou a divulgação com as maiores operadoras de turismo do país e do exterior. Para receber o público, o Parque da Vila Germânica passou a contar com três pavilhões modernos e totalmente climatizados.

A festa foi considerada um sucesso, com transmissão ao vivo pelas grandes redes de televisão, principalmente pela Rede Globo, através do programa Mais Você, da apresentadora Ana Maria Braga. O público mais selecionado deixou a rede hoteleira e o comércio da cidade satisfeitos.

Ao todo, mais de 602 mil pessoas passaram pela festa e consumiram mais de 370 mil litros de chopp, números muito superiores ao ano anterior e que viriam a se repetir nos próximos anos.

2007

A 24ª edição da Oktoberfest surpreendeu até mesmo a administração da festa, tanto em relação ao público quanto em consumo de chopp. Aproximadamente 690 mil pessoas passaram pela Vila Germânica, 14% a mais que no ano anterior. Mais de 365 mil litros de chopp foram consumidos, além de quase 20 mil garrafas de cervejas importadas.

A festa também surpreendeu pela segurança e organização, pois considerando as ocorrências registradas, essa foi uma das melhores festas que a cidade já teve em todos esses anos.

2008

Em 2008 era esperado um público de 700 mil pessoas, mas infelizmente essa expectativa acabou frustrada pela chuva que caiu durante quase todos os dias da festa. Assim, durante os 18 dias de festa cerca de 594 mil pessoas passaram pelos pavilhões da Vila Germânica. Foram vendidos quase 374 mil litros de chopp, não incluindo a venda de garrafas de cervejas importadas.

Alguns dias após o fim da festa uma calamidade atingiu a cidade de Blumenau. As fortes chuvas alagaram diversas ruas e causaram uma série de desmoronamentos nos morros da cidade deixando muitas famílias desabrigadas.

2009

Nos 18 dias de festa a Oktoberfest de Blumenau superou as expectativas da organização, com um público superior a 731 mil pessoas e mais de 450 mil litros de chopp consumidos, sem contar as garrafas de cervejas importadas.

Segundo Norberto Mette, presidente da Vila Germânica, a organização trabalhou para que a Oktoberfest crescesse sempre, mas sem perder a qualidade e a 26ª edição foi um exemplo de trabalho bem feito.

2010

A 27ª edição da Oktoberfest contou novamente com ampla divulgação, principalmente durante o 16° Workshop CVC, um evento que reuniu mais de 12 mil agentes de viagens de todo o Brasil. O evento, que aconteceu em São Paulo, contou com a presença da Realeza 2010 e uma banda típica alemã, o almoço foi oferecido pela organização do Parque Vila Germânica, que também fez a sangria do primeiro barril de chopp.

A boa divulgação fez efeito, principalmente por trazer um público ainda mais qualificado para a festa, por onde passaram mais de 578 mil pessoas. Foram comercializados mais de 583 mil litros de chopp, o maior número registrado nos últimos 20 anos de festa. Também foram vendidos mais de 182 mil tickets de refrigerante e água.

2011

Um público superior a 563 mil pessoas visitou a 28ª Oktoberfest de Blumenau, no período de 06 a 23 de outubro, apenas no dia 15 mais de 93 mil pessoas passaram pelos pavilhões.

O consumo de chopp e cervejas ultrapassou 626 mil litros e também foram vendidos mais de 190 mil tickets de refrigerante e água em toda a Vila Germânica.

Nesse ano o Parque de Diversões Tupã novamente marcou presença, com nove brinquedos que funcionaram no mesmo horário da festa, com exceção do dia 12 de outubro, Dia das Crianças, quando o parque abriu também à tarde.

Com bom tempo em quase todos os dias da festa, um grande público compareceu aos pavilhões. Por esse motivo, especialmente no dia 15, ocorreram alguns problemas, como a limpeza dos pavilhões, que acabou sendo prejudicada, e um número maior de filas.

2012

A 29ª edição da Oktoberfest de Blumenau surpreendeu a todos pelo crescimento de público e consumo maior de chopp do que a edição anterior.

Ao todo, 588.178 pessoas passaram pelos pavilhões da Vila Germânica durante os 19 dias de festa. Em um único dia, 13 de outubro, aproximadamente 77 mil pessoas estiveram no parque.

Entre os dias 10 e 28 de outubro foram consumidos cerca de 652 mil litros de chopp e cervejas, e os hotéis da cidade registraram uma ocupação superior a 95% durante os primeiros finais de semana da festa, sendo inclusive muito elogiada pelos turistas que vieram a cidade.

2013

A edição de 2013 da Oktoberfest foi especial, pois comemorou os 30 anos da tradição da festa em Blumenau.O evento aconteceu entre os dias 03 e 20 de outubro, e encerrou no dia 20 com a escolha das rainhas e princesas da 31ª edição no Setor 2 da Vila Germânica.

Um destaque da edição foi o controle do público, em razão da tragédia ocorrida no início do ano em Santa Maria (RS). Pela primeira vez, as bilheterias da Vila Germânica foram fechadas devido à limitação máxima de 37.704 pessoas ao mesmo tempo no feriado dia 12 de outubro. Nesse mesmo dia a Polícia Militar estimou que mais de 30 mil estavam fora do Parque Vila Germânica buscando ingressos para entrada, o que resultou em queda do público frequentador, que somou 451.523 pessoas e cerca de 531 mil litros de chopp vendidos. Outra mudança da edição foi a maior rigidez com os trajes típicos, que até 2012 garantiam entrada gratuita, e, nessa edição, davam 50% desconto nos ingressos. Esta mudança deve ser mantida para as próximas edições da Oktoberfest.

2014

A Oktoberfest 2014 aconteceu dos dias 08 a 26 de outubro, durante os 19 dias de festa, Blumenau recebeu de braços abertos os milhares de turistas que chegam à cidade para conferir os belíssimos desfiles, as tradições alemãs, os trajes típicos, a refinada culinária e é claro, o saboroso chope.

2015

A 32ª edição da festa mais alemã das Américas reuniu mais de 470 mil pessoas que consumiram quase 600 mil litros de chope. Esta edição rendeu ao Parque Vila Germânica, o Prêmio Top de Marketing oferecido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADVB/SC).

Outra novidade é que a organização conseguiu entregar uma festa com mais de 70% dentro da Reinheitsgebot, a Lei de Pureza Alemã. Isso é tão legal que dá credibilidade ao evento e coloca a Oktoberfest no mesmo patamar dos grandes eventos mundiais.

A gastronomia teve destaque em 2015, confira os pratos mais vendidos:
1º Batata Recheada – 73.664 unidades
2º Espetinho – 31.362 unidades
3º Bratwurst – 20.647 unidades
4º Cachorro Quente – 20.563 unidades
5º Waffel – 13.862 unidades
6º Hambúrguer de Pato – 12.668 unidades
7º Pastel – 12.278 unidades
8º Buffet – 11.282 unidades
9º Bretzel – 10.538 unidades
10º Currywurst – 9.876 unidades

2016

No último sábado (15), a 33ª Oktoberfest de Blumenau, registrou recorde de público dos últimos quatro anos de festa.
De acordo com a organização, 66.380 pessoas passaram pelo Parque Vila Germânica em um único dia. Os ingressos já estavam esgotados antes das 16h. A festa segue até o próximo domingo (23), com a escolha da realeza.

A organização informou que já ocorreram edições com mais visitantes na década de 1990, mas que, na época, não era feito o controle de público.
Se comparado ao segundo sábado do ano passado, o acréscimo de visitantes é de 12%. Nos onze primeiros dias da 33ª edição, já passaram 306 mil pessoas, 1,92% a mais com relação ao mesmo número de dias da festa em 2015.
O total de chope consumido até domingo é de 371.216 litros e de alimentação, 217.782 pratos.

(fonte g1)

Comentários

Pin It on Pinterest

Share This